Passagem

The video cannot be shown at the moment. Please try again later.

 

INTRODUÇÃO

A passagem (de transposição) pode ser definida como a técnica de passagem numa barreira, muro ou equivalente através dum salto que envolve o apoio de mãos, quer por cima quer por entre o obstáculo.

É possível que este termo confunda certas pessoas porque engloba uma diversidade de movimentos mas regra geral uma passagem serve simplesmente para ultrapassar um pequeno obstáculo.

tutorial em inglês


 

TÉCNICA

O termo passagem é uma adaptação genérica que engloba vários movimentos possíveis. É possível que já tenhas visto vários vídeos e fotos com todo o tipo de passagens, para que não se crie confusão, relembramos que apenas os movimentos de deslocação verdadeiramente eficazes são essenciais no parkour. E portanto, todo o movimento supérfluo não faz á priori parte do parkour sendo deixado para outro tipo de treinos.

Para se passar um muro a meia altura, o praticante vai provavelmente precisar de dividir o movimento em etapas:

  • saltar depois de tomar balanço, pousando a mão num dos lados;
  • lançar as pernas para o lado oposto;
  • receber o impacto sem descontinuar a viagem.

Pode parecer simples mas é necessário esforço para passar o corpo todo sobre um muro com uma base de suporte limitada, quando estamos em corrida.


 

PASSAGEM RÁPIDA

Este tipo de saltos é dos mais úteis e dos mais simples de executar quando se lhe apanha o jeito. Conserva toda a velocidade tomada e exige pouco esforço por parte do praticante.

A técnica parece pouco intuitiva para alguns mas consiste basicamente numa pequena tomada de balanço seguida de um salto por exemplo com o pé direito. Saltando com o pé direito apoiamos a mesma mão no obstáculo e aterramos em passada, prosseguindo com a corrida. Está feita a transposição rápida.
Embora simples, esta técnica é difícil de descrever por palavras, deve ser treinada inúmeras vezes.


 

PASSAR POR DEBAIXO DO OBSTÁCULO

Com os pés em primeiro ou em ultimo lugar, cada técnica tem vantagens e desvantagens.

Com os pés primeiro, existe a vantagem de se poder retomar a corrida de forma rápida e de se poder entrar no movimento sem necessidade de parar. O problema é que existe o risco de se bater com as costas no obstáculo que esteja imediatamente abaixo. Torna-se também difícil perceber o que está do outro lado do obstáculo e podemos ser surpreendidos.

Com os pés em último lugar, existe a vantagem de se poder passar com um pouco mais de controlo, no entanto a velocidade é perdida para ajustarmos a altura à do obstáculo. Este movimento é óptimo para se perceber o que está do lado oposto e se poder ver onde se vai efectuar a pega com as mãos.

Seja qual a técnica a adoptar, o melhor é quebra-la em movimentos mais pequenos de forma a poder ser estudada melhor e gradualmente ir aumentando a velocidade. Cuidado sobretudo com as pernas, é inútil ir depressa para bater com a cabeça.


 

PASSAGEM CONTRÁRIA

Esta técnica é útil em casos muito raros, mas como existe essa possibilidade, este movimento pertence a esta categoria. Pode servir sobretudo quando se vem duma sequência de movimentos e o praticante se encontra demasiado perto do obstáculo a transpor e com alguma velocidade horizontal, nessas ocasiões, a passagem contrária aparece naturalmente.

 

Técnica

Esta passagem pode ser efectuada com ambas as mãos ou apenas com uma.A passagem com ambas as mãos é mais fácil para quem se começa a iniciar agora no parkour, começa-se o movimento de forma semelhante á meia-volta, e segue-se com meia rotação para se ficar de frente para o mesmo sentido em que seguíamos.A passagem com apenas uma mão é mais rápida e, sendo que apenas uma das mãos toca no obstáculo bem mais perigosa.

 

Dicas

Treinar sempre para ambos os lados da rotação. Se nos habituamos apenas a rodar para um dos lados, vamos estar em duvida num caso em que rodar para o lado contrário seria uma solução mais simples caso houvesse desenvoltura e treino para se efectuar o movimento.